Mulheres se prepararam para a 6a Marcha das Margaridas

O Coletivo de Mulheres da CUT-PE, promoveu na noite desta terça-feira(18), o Lançamento da Marcha das Margaridas, reunindo sindicalistas e representantes de diversas entidades dos movimentos sociais. A reunião com a participação da Diretora do SINDSERPE, Marta Souto Maior.

A 6a Marcha das Margaridas tem um papel relevante no atual contexto politico e social, pela coragem e força das mulheres. Lutaremos em Marcha contra a retirada de direitos, racismo e denunciaremos toda forma de violência contra as mulheres.

Garantia permanente a alimentos de qualidade e em quantidade suficiente, sem comprometer outras necessidades essenciais; acesso à terra e valorização da agroecologia, uma educação que não discrimine as mulheres, o fim da violência sexista, o acesso à saúde, a ser ou não ser mãe com segurança e respeito; autonomia econômica, trabalho, renda, democracia e participação política. Estas reivindicações são fruto de muita discussão.

Origem- A escolha do nome Marcha das Margaridas e da data é uma homenagem à Margarida Maria Alves, presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Alagoa Grande, na Paraíba. Ela foi assassinada em 12 de agosto de 1983, a mando de latifundiários da região. Por mais de dez anos à frente do sindicato, Margarida lutou pelo fim da violência no campo, por direitos trabalhistas como respeito aos horários de trabalho, carteira assinada, 13º salário, férias remuneradas. Margarida dizia que “É melhor morrer na luta do que morrer de fome.”