Dia do Idoso – por um Brasil para todas as idades

No dia 1º de outubro, comemora-se o Dia do Idoso, pessoa que possui idade igual ou superior a 60 anos. Essa data, que marca o dia em que a Lei N°10.741 (Estatuto do Idoso) entrou em vigor, é fundamental para reforçar a importância da proteção a esse público. Idosos de todo o país estão em movimento contra a invisibilidade, o preconceito e todas as formas de violência e melhoria na qualidade de vida.

Segundo o médico geriatra e diretor científico da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) Renato Bandeira de Mello, qualidade de vida é algo subjetivo: depende da percepção do indivíduo sobre o que é felicidade.

Mas, em termos gerais, acrescenta o geriatra, qualidade de vida na velhice está associada a vida ativa: a busca por hábitos saudáveis como atividade física, alimentação saudável; e a manter a mente estimulada com novas atividades. Outro fator associado à qualidade de vida na terceira idade são as relações sociais. “Isso significa contato com a família, amigos e colegas de trabalhos”, resume Mello.

Pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revela que, entre 2012 e 2017, a população de idosos no país saltou 19,5%, passando de 25,4 milhões para mais de 30,2 milhões de pessoas. Há o registro ainda de que o desamparo familiar cresce mais rápido que a expectativa de vida, quadro agravado pelo fato de o país carecer de um projeto para reforçar os cuidados prolongados e a assistência na velhice.

É preciso continuarmos lutando por políticas públicas que atendam as necessidades dos nossos idosos de uma forma ampla e eficaz.